Foto:  Luiz Carlos Lima/UFJF

Impactando o futuro do Brasil: a influência das empresas juniores nas micro e pequenas empresas

Conquistar a satisfação do cliente por meio da realização de projetos é um dos principais objetivos de uma empresa júnior, aliado à capacitação dos membros e ao desenvolvimento da cultura empreendedora. Agora imagine saber que o trabalho desenvolvido aí na sua EJ trouxe mais eficiência para o dia a dia do cliente e evitou que ele fosse à falência. Quantos empregos você ajuda a manter? Quantas vezes evitou que famílias passassem por dificuldades financeiras, diante de um cenário econômico ainda instável no nosso país?

É sabido que o principal público das empresas juniores, de modo geral, são os Micro e Pequenos Empreendedores. Esse segmento representa 99% das empresas em Minas Gerais e merece ainda mais a atenção do Movimento Empresa Júnior, visto que 19% delas fecham as portas após dois anos de funcionamento.

E aí, já está começando a perceber que o impacto do seu projeto para o cliente que é Micro Empreendedor Individual (MEI) vai muito além de uma única entrega com deadline definido? A força do Movimento Empresa Júnior é capaz de transformar a economia do país!

Impactando o futuro do Brasil: a influência das empresas juniores nas micro e pequenas empresas

Parceria entre empresa júnior e micro e pequeno empreendedor

Na última reunião presencial da FEJEMG, o Diretor Administrativo-financeiro da FEJEMG,  Pedro Augusto Fernandes, discutiu sobre como o MEJ tem dois tipos de influência na vida das micro e pequenas empresas brasileiras:

  • Primeiro, em um impacto imediato, a consultoria das EJs soluciona os problemas vivenciados pelos MEIs em uma vasta opção de serviços, como planejamento, saúde financeira e posicionamento de marca, colaborando para sua permanência no mercado e crescimento sustentável;
  • Os pós-juniores colaboram, em longo prazo, disseminando o conhecimento e os valores do MEJ tanto em seus próprios empreendimentos, quanto no trabalho dentro de organizações seniores, estimulando boas práticas em cargos de liderança, por exemplo.

“Desde um estabelecimento comercial como um bar ou um salão de cabeleireiro, até uma startup: todos os micro e pequenos empreendedores sofrem com algum problema ou falhas no processo que as empresas juniores têm total capacidade de atuar fortemente em soluções práticas e rapidamente aplicáveis”, destaca Pedro.

As EJs têm experiência com microempresas e entendem suas dores, pois vivenciam todos os dias o ambiente de clientes com esse perfil e, para incentivar ainda mais essa troca de experiências, cobram um investimento financeiro do projeto mais interessante e viável para esse segmento.

Mas para que o Movimento Empresa Júnior realmente consiga impactar ainda mais empreendimentos e colaborar expressivamente para manter ativas essas empresas em todo o país, é preciso que os serviços estejam acessíveis para os gestores por meio de um desafiador e imprescindível plano de expansão do MEJ em todo o Brasil. Afinal, já ficou claro que milhões e milhões de brasileiros precisam se beneficiar, ainda mais, do trabalho do empresário júnior.

Impactando o futuro do Brasil: a influência das empresas juniores nas micro e pequenas empresas

Expansão da rede e impacto nacional

Hoje, somos mais de 15 mil empresários juniores em todo o país. E se esse número dobrasse? É incalculável o impacto dos projetos que o Movimento como um todo seria capaz de gerar para os MEIs. Você já parou para pensar no quanto conseguiríamos, juntos, colaborar com a diminuição da taxa de desemprego do país, que hoje está em cerca de 12%?

Pedro aponta que podemos fazer muito mais para resgatar o otimismo que colocava o Brasil como “País do Futuro”, em meados de 2009. Um exemplo está na demanda dos MEIs, que ainda é muito maior do que a oferta de projetos das empresas juniores: tendo um parâmetro no cenário brasileiro, as EJs atendem, ainda, menos de 1% das micro e pequenas empresas seniores.

“Não tem como o impacto do MEJ ser o que o país precisa se não escalarmos esse modelo de atuação, a necessidade de expansão e geração de resultados é urgente”, reitera Pedro, ao lembrar da meta da Rede de dobrar o número de empresas juniores no triênio de 2016-2018.

Esse crescimento do Movimento Empresa Júnior se dá na oportunidade para os MEIs terem nos nossos projetos uma opção cada vez mais acessível de contratação, assim como possibilita que mais estudantes passem pela experiência de aprendizado por projetos e gestão, além da formação empreendedora.

“Acredito que um grande desafio atual das lideranças do MEJ é compreender a necessidade e apoiar a expansão da rede e, assim, conseguir fazer com que os demais líderes e liderados entendam o senso de urgência desse crescimento para o colocarem em prática. O impacto do nosso trabalho é capaz de mudar o futuro do nosso país”, conclui Pedro.

Fazendo sua parte na iniciativa de crescimento proposta pela Brasil Júnior, a FEJEMG desenvolve programas de apoio à expansão da rede, como os Novos Juniores e o P.U.F.

O futuro começa agora

Expandir é preciso, mas cada empresário júnior, em cada EJ, também tem um papel fundamental para ajudar a construir hoje um ambiente empresarial de sucesso para os micro e pequenos empreendimentos.

“É natural que na correria do dia a dia a gente não consiga ter uma visão do todo, uma visão do porquê as atividades rotineiras existem. É necessário que não só as lideranças, mas qualquer pessoa que enxergue o impacto e a necessidade do nosso trabalho para a economia brasileira, passem adiante o conhecimento e estimulem os colegas a continuarem trabalhando com qualidade e paixão”, completa Pedro.

E você, empresário júnior, já se sente parte da mudança que a nossa geração vai fazer no Brasil?

Thaiza Gribel

Assessora de Conteúdo

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *