Clusterização

Case de Sucesso: EJs do cluster 1, 2 e 3 compartilham como alcançaram metas de faturamento

Relacionamento com o mercado, engajamento dos membros e negociação com clientes. Esses são alguns dos muitos desafios enfrentados pelas empresas juniores que estão no cluster 1, 2 e 3. Nesta segunda matéria especial sobre as EJs mineiras que inspiram toda a rede a baterem meta, sete empresas juniores compartilham como superaram obstáculos para já atingirem, em três meses de gestão, 100% do faturamento planejado.

“Alcançar metas é um indicativo de que estamos formando melhores líderes e que as EJs estão vencendo os seus desafios. Isso significa formar pessoas capazes de inovar e fazer diferente. Ou seja, é empreender”, destaca a Diretora de Desenvolvimento da FEJEMG, Maria Clara Rubio.

As metas de faturamento alcançadas – baseadas no planejamento estratégico interno e vivências de cada EJ – tiveram valores diferentes entre si, com variações entre 900 reais e 29 mil.

Divisão em cluster e a troca de experiências 

As empresas de cluster 1, 2 e 3 foram agrupadas nesse modelo, a partir do ano passado, de acordo com a maturidade e com a similaridade dos principais problemas enfrentados na gestão e execução dos projetos.

Os maiores benefícios de existir a divisão do cluster, como destaca Maria Clara, está na maior clareza das prioridades da EJ, na facilidade para resolverem problemas em conjunto e na definição de metas mais reais a partir do cenário e necessidades mapeados tanto pela BJ quanto pela FEJEMG. Assim, planos de ação ainda mais efetivos são colocados em prática!

Ficou curioso para saber como essas EJs conseguiram bater a meta de faturamento ainda no primeiro trimestre do ano? Acompanhe o depoimento dos Presidentes da Agrobio, Code, Comp, Mosaico, Preserva, UFMG Informática e Farmácia Jr!

Foco em projetos e envolvimento com a rede

Para a Presidente da Farmácia Jr, Ana Luísa Andrade Leite, o maior contato com a rede incentivou os membros a executarem muito mais projetos. “Depois da visita da Brasil Júnior no ano passado e de termos mais membros participando das Reuniões Presenciais, a mentalidade de muitos de nós mudou. O conteúdo dos eventos da FEJEMG e o apoio através dos benchs ajudou a Farmácia a se reestruturar”, destaca a Presidente.

“A sinergia da equipe sempre nos influenciou a buscarmos mais clientes e nos envolvermos em mais projetos”. Ana Luísa, Farmácia Jr.

“A sinergia da equipe sempre nos influenciou a buscarmos mais clientes e nos envolvermos em mais projetos” – Ana Luísa, Farmácia Jr.

Na UFMG Informática Júnior, a Presidente Gabriela Alves aponta que, em conjunto com o M.O.V.E. (programa de suporte da FEJEMG), o sucesso dessa gestão foi alcançado através da reestruturação do organograma interno, definindo com mais clareza e eficiência as funções de cada cargo na EJ e eliminando postos gerenciais desnecessários. “Outro fator importante foi a revisão do nosso processo comercial, que possuía alguns gargalos e está em fase de teste e melhorias”, aponta Gabriela.

“Nosso maior foco foi e ainda está na execução de projetos” - Gabriela Alves, UFMG Informática

“Nosso maior foco foi e ainda está na execução de projetos” – Gabriela Alves, UFMG Informática

A Agrobio também bateu a meta de faturamento já no primeiro trimestre do ano e dedica esses números à força tarefa feita ainda em janeiro para alinharem na diretoria as funções principais a serem executadas a curto e longo prazo. Priorizaram as atividades que têm impacto direto em conversão de projetos e recolheram sugestões de todos os membros. “Interiorizamos nossos valores, reconhecemos nossa missão e definimos nossa visão para este ano. Com o orgulho e engajamento de todos, alinhamos nossos propósitos e demos início aos trabalhos”, lembra o Presidente da EJ, Emerson Igor.

“Esse brilho no olho de cada um dos membros foi o diferencial para conseguirmos os resultados"- Emerson Igor, Agrobio

“Esse brilho no olho de cada um dos membros foi o diferencial para conseguirmos os resultados”- Emerson Igor, Agrobio

Internalizar o planejamento estratégico de forma com que todos os membros compartilhassem das mesmas ideias foi a aposta da Mosaico desde o ano passado para a melhoria nos processos, como aponta a Presidente Isabella Sales. “Imersões, parcerias estratégicas e reuniões de brainstorms também foram essenciais para esse ganho de faturamento. Cada um dos membros foi responsável pelas metas da empresa, até porque todos estão envolvidos diretamente com projetos”.

“É imprescindível um planejamento a longo prazo que deixe a empresa alinhada em todas as suas ações” - Isabella Sales, Mosaico

“É imprescindível um planejamento a longo prazo que deixe a empresa alinhada em todas as suas ações” – Isabella Sales, Mosaico

A Presidente da Code, Ana Carolina Gonçalves, destaca que acreditar que a EJ poderia fazer mais foi a base para todas as ações que resultaram no aumento de faturamento neste primeiro trimestre: “Saber quais são os objetivos de cada diretoria e o que fazer para atingi-los nos norteou para revisarmos nosso modelo de negociação e precificação, por exemplo”.

“A empresa unida e motivada não só sabe onde chegar. Todos juntos vão além”, - Ana Carolina, Code

“A empresa unida e motivada não só sabe onde chegar. Todos juntos vão além” – Ana Carolina, Code

Os dois pilares que mais influenciaram na Preserva Jr para que a meta de faturamento fosse alcançada no primeiro trimestre do ano foram a estratégia alinhada à sinergia dos membros, como destaca o Presidente Matheus Flausino. “Houve um novo direcionamento na cultura organizacional com o foco em projetos. Além disso, os membros compreendem o que é ser empresário júnior e tem noção do seu valor e enorme oportunidade de estar na EJ”, destaca Matheus. 

“Sem dúvidas o interesse e amor contidos em todos os processos foram essenciais para esse resultado tão positivo” - Matheus, Preserva

“Sem dúvidas o interesse e amor contidos em todos os processos foram essenciais para esse resultado tão positivo” – Matheus, Preserva

A Presidente da Comp, Natacha Leite, ressalta que desde que a EJ alinhou seu planejamento estratégico e passou pelo processo único de federação, o objetivo foi de crescer mais de 50%. “No P.U.F. conseguimos enxergar os gaps da empresa e corremos atrás para superá-los. Buscamos cursos de vendas, direcionamos nosso público-alvo, aumentamos nossa carta de serviços e ajustamos nossos preços”, completa Natacha.

“A cada projeto fechado, toda a empresa sabia que era mais uma vitória e que estávamos mais perto da meta” - Natacha Leite, Comp

“A cada projeto fechado, toda a empresa sabia que era mais uma vitória e que estávamos mais perto da meta” – Natacha Leite, Comp

E você já sabe: com cada vez mais projetos e faturamento, conseguimos impactar as Micro e Pequenas Empresas e alavancarmos a economia brasileira!

Quer ver a sua EJ sendo um Case de Sucesso da próxima matéria do blog da FEJEMG sobre o faturamento da rede? Não deixe de compartilhar as dicas desse post com os amigos!

Thaiza Gribel

Assessora de Conteúdo

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *